Monday, February 19, 2007

Joni Mitchell

Joni Mitchell fala sobre a sua vida, primeiro enquanto criança, mais tarde como jovem mãe solteira...
 "A preocupação principal era proteger os meus pais do escândalo. O que uma rapariga fazia então era: ou um casamento para ocultar, ou ia para outra casa - o aborto era uma coisa de que não se falava. Portanto entrei na senda das raparigas mal comportadas, que era um caminho de vergonha e escândalo, e tive, por assim dizer, que me esconder."
...logo de seguida "aprisionada" num casamento de conveniência...
 "Conheci o Chuck Mitchell, tornámo-nos amigos e ele disse que me podia conseguir trabalho nos Estados Unidos, e com esse optimismo lá fui e consegui alguns concertos. Um dia contei-lhe acerca da minha filha, que estava numa casa de adopção, e ele disse que se casaria comigo. Eu estava emocionalmente fraca, com uma série de coisas a empurrar-me em diferentes direcções, e isto foi um empurrão forte numa certa direcção, e pareceu uma solução. Acabámos por casar por todas as razões erradas. (...) Logo após o casamento ele manifestou claramente que não estava interessado em ocupar-se da filha de outro homem. Eu caira numa armadilha."
... e, finalmente, renunciando a um casamento de paixão para se poder realizar enquanto mulher...
 "Eu tinha entregue o meu coração ao Graham [Graham Nash, que fez parte do grupo 'Crosby, Stills & Nash'] de uma maneira que não pensava possível, e ele queria que eu casasse com ele. Eu tinha concordado, mas depois comecei a pensar: a minha avó era uma poetisa e música frustrada, que dava pontapés na porta da cozinha, na quinta. Pensei na minha avó materna que chorou pela última vez aos catorze anos quando quis um piano e disse: 'seca os olhos, parva, porque nunca terás um piano'. E eu pensei: talvez eu tenha esse gene capaz de fazer com que isso aconteça, por essas duas mulheres. Embora amasse e apreciasse o Graham, pensei: 'ainda vou acabar a dar pontapés na porta, é melhor não o fazer'. E destrocei o meu coração."
No final do video surge a canção "Califórnia", escrita na sequência de uma estadia que Joni Mitchell fez em Paris para poder pensar nas difíceis decisões que teve de tomar. Embora a canção tivesse sido publicada no mesmo disco de 1970 em que está um dos hinos do movimento hippie ("Woodstock"), os versos de "Califórnia" reflectem já o desencanto dos "flower children" (há uma clara referência a "Give Peace a Chance", de John Lenon, criada no famoso bed-in de 1969):

Sitting in a park in Paris, France
Reading in the news and it sure looks bad
They won't give peace a chance
That was just a dream some of us had.
[A canção "Califórnia" pode ser ouvida aqui ou aqui]

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home