Friday, March 02, 2007

Piedade Fernandes

Piedade Fernandes

Águas Passadas

      Conheci a Piedade Fernandes no seu restaurante "O Violino", um extraordinário espaço de convívio, onde se comia bem e onde eram frequentes as confraternizações de estudantes, que contribuíam bastante para o ambiente alegre e amistoso que caracterizava aquele espaço. Também ali iam os actores do Teatro Animação de Setúbal, a horas mais tardias, depois dos ensaios no Teatro de Bolso. Nessas noitadas era frequente declamar-se poesia, tocar-se música e cantar-se, em estilo de improviso, mas a belíssima e simpatiquíssima Maria da Piedade - como a tratávamos na altura - destacava-se pelas interpretações que fazia. Arrasava. Creio que muito dificilmente se poderá reconstituir o ambiente de magia que espontâneamente se criava naquelas noites.
      Creio que nessa altura não lhe passava pela cabeça vir a ser cantora profissional, mas o seu talento tinha chamado a atenção do pessoal do TAS - particularmente do Carlos Rodrigues ("Manuel Bola").
      Assim, quando o TAS estreou o Forum Municipal Luísa Todi em 1990 com a revista "À Coca", a Piedade Fernandes foi convidada pelo Carlos César para participar - o que fez com enormes receios, claramente injustificados. O sucesso da jovem cantora, como se devem recordar, foi enorme, e foi desta forma que iniciou a sua carreira artística. Recordo com grande emoção os momentos mágicos em que a voz delicada e expressiva calava na grande sala do Fórum. Pessoalmente, tenho ainda a grande satisfação de ter escrito as letras de várias das músicas que cantou e gravou, com músicas de setubalenses como o maestro José Azóia e o pianista Afonso Malão, bem como do maestro Fernando Correia Martins.
      Piedade Fernandes começou por orientar a sua carreira para o fado, tendo ganho o 2º lugar na Grande Noite do Fado de 1993. Mas desde o início da sua participação nas peças do TAS que interpretou diversos estilos musicais - diversidade que sempre tem caracterizado a sua actividade artística. Exemplo disso foi a sua participação no Festival da Canção de 1993 com a canção "Renascer de um Trovador".
      Tendo já gravado vários CDs, é de salientar a edição, em 1998, do disco "Alto Mar", um disco de fados mas que teve (e continua a ter) enorme divulgação internacional como "Música do Mundo". É deste disco o fado "Águas Passadas" que se pode ouvir no leitor virtual de cima.
      Piedade Fernandes continua com a sua intensa carreira musical, com numerosos espectáculos em Portugal e em outros países da Europa, sendo, desde 2006, fadista e apresentadora residente da casa de fados "Caldo Verde", no Bairro Alto, em Lisboa.
      Aqui fica um grande e comovido abraço e votos de continuação da brilhante carreira da Piedade Fernandes

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home